Shell e named pipes

Fiquei a saber no outro dia para que servem os named pipes. Agradou-me saber que podem ter uma infinidade de aplicações como por exemplo identificar diferenças entre directorias do sistema operativo.
Uma das que me prendeu a atenção foi a possibilidade de criar, on-demand, ficheiros temporários. A síntaxe seria algo como: <(cmd).

Segue um exemplo para trazer alguma luz à questão:

# Somar os numeros dentro da variavel nums, 2 a 2
~$ nums="40 55 55 66 69 66363"
~$ cat <(echo $nums) | xargs -n 2 | tr " " "+" | bc
95
121
66432

et voilá
Depois de andar num carro a sério é que percebemos que o nosso utilitário não passa disso mesmo, um utilitário. E a shell se há coisa que não é, é um utilitário.

Esta informação pode ser encontrada no wiki do Júlio Neves.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s